Portos do Brasil e Omã fazem acordo para cooperação

01 de julho de 2021
O Complexo do Pecém assinou um acordo para intercâmbio com o Porto e a Zona Franca de Sohar. Ele prevê cooperação técnica e comercial.
O complexo, localizado no Ceará, é constituído por uma área industrial, porto, além de uma zona de processamento de exportação (ZPE). O acordo com os omanitas servirá para cooperação comercial e técnica entre os terminais industriais e portuários. Ambos têm o Porto de Roterdã como acionista.

Mark Geilenkirchen, CEO de Sohar e Cornelis Hulst, vice-presidente de operações do Complexo do Pecém, assinaram o termo em cerimônia virtual. Geilenkirchen declarou que Sohar tem bastante interesse em aprender a logística utilizada no Porto cearense para a exportação de alimentos, especialmente as frutas, que partem do terminal brasileiro para diversos países ao redor do mundo. Na reunião, também foi comentado que Sohar comporta um dos maiores terminais de minérios do mundo, construído para operações da empresa brasileira Vale.
Danilo Serpa, presidente do Complexo do Pecém, acredita que após o acordo, seja possível estabelecer uma conexão entre Europa e Asia, assim seria possível aproveitar todo potencial do Oriente Médio. Serpa declarou que o porto está localizado em uma posição estratégica entre os Estados Unidos e a Europa. Segundo ele, o Pecém tem a única ZPE em operação no Brasil e exporta placas de aço para mais de 20 países.
Outras autoridades do Brasil e de Omã também participaram da cerimônia. O acordo possibilitará que os complexos industriais e portuários consigam avançar de forma colaborativa suas operações marítimas e logísticas globais, cumprindo objetivos compartilhados, incluindo a exploração de oportunidades de negócios conjuntas, o intercâmbio de conhecimentos e o desenvolvimento de tecnologias para hidrogênio verde e outras energias renováveis.

Fonte: Brazilmodal